Posted on

Sobre a falta de intimidade

Estavam eles ali naquela cama. Não tinham a menor intimidade, mas algo os levou  até ali. Se conheceram naquela mesma noite, conversaram, riram e enfim se beijaram. Conversaram mais, riram mais e se beijaram mais. Determinada hora pararam de conversar e rir, apenas se beijavam. E vieram as mãos, apertos e volumes inesperados. De repente a festa era pequena demais e precisavam ir para outro lugar.

Pularam as etapas e acabaram na cama dela. E eles que até então se encaixavam, perderam a naturalidade de tudo. Gestos mecânicos, carícias desengonçadas, timidez. Eram dois estranhos dividindo seus fluidos e uma mesma cama. Ela se questionou porque tinha achado que isso seria uma boa idéia. Ele dormiu a noite toda segurando sua mão.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s